quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Cerimônia de Formatura alunos PROERD Pais


Aconteceu na quadra da escola, a formatura dos pais dos alunos no PROERD "Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência". O coordenador do PROERD em Patos de Minas, o Tenente Tafuri, manifestou a importância do programa para uma sociedade mais justa e humana, sem as drogas e a violência.

A formatura foi de 2 turmas com um total de 44 mães/pais que durante 5 semanas frequentaram aulas às quartas-feiras e quintas-feiras, ministradas pela CABO MÔNICA. A cada aula um tema diferente era abordado pela soldado de maneira lúdica e bastante educativa. 

Ainda contamos com a importante presença da Banda de Música da 10a região da Polícia Militar regida pelo Tenente Fabiano de Oliveira Brandão.

Agradecemos o apoio de todos que não mediram esforços para a realização da formatura e parabenizamos a CABO MÔNICA que mais uma vez fez um brilhante trabalho em nossa escola. 

 


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Aos professores...












Empreendedorismo e Gestão - Visita nº 2 - COOPATOS




Tema: “Estrutura Organizacional e Atuação da Empresa na Macroeconomia e no Ambiente de Tarefas”
Local da Visita: Cooperativa Mista Agropecuária de Patos de Minas – COOPATOS

No dia 18/09/14, de 08:00 às 11:00, a turma do 1º Ano/15 da Escola Estadual “Abílio Caixeta de Queiroz” visitou a Cooperativa Mista Agropecuária de Patos de Minas – COOPATOS, tendo como norteador o tema “Estrutura Organizacional e Atuação da Empresa na Macroeconomia e no Ambiente de Tarefas”. Esta turma está recebendo formação específica através da Disciplina “Empreendedorismo e Gestão”, a qual faz parte do Programa Reinventando o Ensino Médio, o qual contempla as áreas de empregabilidade. Ainda, o tema dessa palestra é parte integrante do currículo e visa propiciar aos alunos estabelecer relação entre a teoria e o cotidiano do mercado de trabalho e a formação de uma consciência crítica.
 
 A visita técnica à Coopatos contemplou uma exibição de vídeo institucional, apresentação de palestras sobre o “Agronegócio e “Fluxo de Informações”, descrição de 04 (quatro) grandes áreas da empresa (Financeira, Contabilidade, Relações com Cooperados e Laticínios), degustação da linha de produtos e incursão às áreas externas dos departamentos da Indústria de Laticínios e Fábrica de Rações. 

Inicialmente, o Sr. José Maria Marques (Superintendente Administrativo e Financeiro) proferiu uma palestra sobre o “Desenvolvimento do Agronegócio”. Ele relatou as origens remotas da evolução humana, quando houve a transição dos hábitos (dos hominídeos) de coleta e caça para o cultivo de vegetais e criação de animais voltados para a própria nutrição e, posteriormente, troca e comercialização. Ainda, disse que as bases teóricas são do século XX, com os professores da Universidade de Harvard (Cambridge, Massachusetts/USA) John Davis e Ray Goldberg e que no Brasil a teorização contou com grandes contribuições de técnicos na região de Patos de Minas e, sua efetivação em termos políticos se deu pelo empenho do Ex-Ministro da Agricultura do governo Geisel (1974 a 1979) Alysson Paulinelli e secretário de Agricultura de Minas Gerais por três vezes. Ao final, o palestrante indicou o livro “Agronegócios: gestão e inovação” (autor: Luiz Fernando Zuin) àqueles que se interessarem em saber mais sobre o assunto.
 João Carlos (Gerente de T.I.) abordou o tema “Fluxo de Informações” como elemento de integração entre os departamentos, estabelecendo rotinas de informática e interpessoais nos níveis operacional, gerencial, bem como no estratégico. Ressaltou que o estabelecimento de rotinas claras otimiza o trabalho cotidiano e viabiliza o controle e a tomada de decisão estratégica da empresa, tornado-a longeva e apta a cumprir seu papel econômico, em dar vida ao negócio dos produtores rurais Cooperados, ao atendimento social em gerar empregos e no oferecimento de produtos de alta qualidade para a nutrição da população. Concluiu que o controle desses 04 (quatro) aspectos do Agronegócio, vivido na “Cadeia Láctea”, pela Coopatos, através da informatização do Fluxo de Informações, fortalece o campo gerencial da empresa.

Leonel (Gerente Financeiro) destacou os processos de controle financeiro implementados na empresa e como eles interligam os departamentos, os Cooperados e o mercado consumidor. Também, evidenciou a importância do cooperativismo para o desenvolvimento do Brasil.



Sobre o tema supracitado, os Técnicos em Segurança no Trabalho (Lara, Carlos e Elisabete) distribuíram um flyer informativo da Campanha de incentivo e divulgação do cooperativismo, como segue:
SÍMBOLO DA COOPERAÇÃO

Todos nós sabemos que o quê caracteriza o Cooperativismo é um desenho formado por: dois pinheiros verdes, dentro de um círculo verde, tendo um fundo amarelo dentro do círculo.

Este símbolo representa o seguinte:

Pinheiro – antigamente o pinheiro era tido como o símbolo da imortalidade e da fecundidade, pois sobrevivia em terras menos férteis e pela grande facilidade na sua multiplicação.
Círculo – o círculo representa a vida eterna, pois não tem horizonte final. Não tem começo nem fim.
Verde – o verde-escuro das árvores lembra o princípio vital da natureza.
Amarelo – o amarelo-ouro simboliza o Sol que é a fonte permanente de energia e calor.

Conclusão desse assunto:

Somando todos esses elementos, nasceu o emblema do Cooperativismo. Um círculo abraçando dois pinheirinhos, para indicar união e coesão do movimento, a imortalidade e a eternidade de seus princípios de seus ideais, a vitalidade e a energia de seus adeptos.

Tudo isto marcado na trajetória ascendente (que cresce) dois pinheiros que se projetam para o alto, procurando subir cada vez mais.

  
André e Michele (Contabilidade) compararam as atividades do departamento de Contabilidade com o acompanhamento médico, verificando a sanidade financeira da empresa, controlando e prescrevendo os “remédios” necessários ao crescimento da mesma face aos desafios do mercado econômico.

Luiz Gonzaga (Gerente de Laticínios) desenvolveu um fluxograma e recebimento e beneficiamento de leite. Ele externou o zelo da empresa para manter a alta qualidade e, também, o compromisso em atender aos rígidos e importantes padrões de controle do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, através do Serviço de Inspeção Federal – S.I.F., para a produção e comercialização de alimentos. O processo produtivo é monitorado através das análises laboratoriais desde a recepção, no beneficiamento, na venda e até na pós-venda. Para essas análises, Lorena (Engenheira de Alimentos) reforçou com alguns detalhes prescritos pela legislação pertinente e que os registros desses processos são permanentemente vistoriados pelos técnicos do S.I.F.. Ela pormenorizou o significado das principais análises e como elas impactam o pagamento do leite aos Cooperados e na qualidade do produto final oferecido aos consumidores.



Rafael (Departamento de Relações com Cooperados – DRC) contemplou a questão do atendimento direto aos Cooperados. Ele disse que este serviço compreende aspectos políticos do cooperativismo, repasse de informações técnica sobre o gerenciamento da propriedade rural, nutrição do rebanho e cuidados gerais com a produção e conservação do leite. Para esse fim, o DRC conta com veterinário, agrônomo e zootecnistas, além de 06 (seis) estabelecimentos comerciais, em Patos de Minas e cidades vizinhas, para o fornecimento de insumos agropecuários.
Em seguida, a etapa mais descontraída da visita, a degustação de alguns produtos da linha Coopatos. Sem dúvida, o alto padrão de qualidade demonstrado no atendimento à turma do 1º Ano/15 da Escola Estadual “Abílio Caixeta de Queiroz” são a base dos excelentes produtos saboreados pela turma.