segunda-feira, 31 de agosto de 2015

CONVITE DE LICITAÇÃO NA MODALIDADE DE LEILÃO

A direção da Escola Estadual“Abílio Caixeta de Queiroz”, comunica que realizará leilão de equipamentos e materiais diversos no estado de conservação que se encontram, no dia 15 de Setembro de 2015, às 08 horas, no endereço da referida escola, conforme o edital em anexo.



terça-feira, 25 de agosto de 2015

Formatura PROERD 2015

A quadra da escola “Abílio Caixeta de Queiroz”, foi tomada pelas cores vermelho e preto, e ainda, a grande presença de pais, amigos e familiares, além das estrelas da noite: os alunos dos 5º anos no evento que já é esperado por todos que estão nesse período de escolaridade, a formatura do PROERD (Programa De Combate E Prevenção Contra As Drogas), que este ano, se deu no dia 23 de junho de 2015. Esse Programa faz parte de algumas das várias atividades já consolidada em nossa escola. Ele é ministrado por Policiais Militares aos alunos dos 5º anos, as aulas ocorrem uma vez por semana de forma bastante dinâmica. Tais aulas englobam temas importantes de serem discutidos sobre as drogas, numa linguagem e didática bem próxima e atrativa à idade dos alunos dessa fase de escolaridade. A nossa escola agradece de forma carinhosa a todos envolvidos nesse Programa em especial à Polícia Militar de Minas Gerais, pais, amigos e professores pela notável participação e permanência da Abílio Caixeta nutrir tal trabalho com nossos alunos.

Parabéns a todos os envolvidos com o PROERD em nossa Instituição.
Abraços a todos!!!!!!!!
Direção e Supervisão























quarta-feira, 19 de agosto de 2015

22 de Agosto - Dia das Especialistas da Educação


Homenagem dos Alunos, Professores, Funcionários e Direção da 
E.E."Abílio Caixeta de Queiroz"

Inclusão se conquista com autonomia



Esta reflexão sobre o tema, com apoio em estudos existentes sobre o assunto, pelos quais se buscou trazer a este texto a temática da inclusão em relação com a autonomia.
A inclusão, como discurso, invadiu a sociedade e , atualmente, vem sendo utilizada nos diversos contextos como forma de referir-se à justiça social e à cidadania e aos benefícios de populações submetidas a prejuízos resultantes de práticas excludentes. Muitas vezes de formas desumanas e indignas, pessoas com deficiência tiveram o acesso aos direitos sociais negados e comprometendo, ao mesmo tempo, o exercício dos deveres cidadãos.
Por se tratar da semana da pessoa com deficiência, que ocorre a cada ano, de 21 a 28 de agosto, procura refletir nesse momento sobre suas necessidades e as formas da aplicabilidade e observância com reflexos na inclusão, educação, saúde, trabalho, família ou nos diversos espaços e eventos sociais.
Contudo, inclusão não significa apenas a presença, como a participação e a apropriação do conhecimento construído, aprendido, materializado pelo próprio aluno. Considera-se incluído não apenas estar na escola, e sim pertencer, fazer parte, ser ativo e não passivo no processo ensino-aprendizagem.
Ressalta-se a importância da valorização do profissional capacitado, que auxilia na efetivação da aprendizagem desses alunos, assim como é fundamental a estrutura da escola que atende essas pessoas.



Cleide Maria Rosa de Freitas
Professora de apoio pedagógico









terça-feira, 7 de julho de 2015

A Inclusão faz a Diferença


A Escola Estadual "Abílio Caixeta de Queiroz"  tem recebido alunos com deficiência: intelectual, física, auditiva e visual, não pelo direito que conjuga igualdade e diferença como valores indissociáveis, garantido por lei, mas por compreender a importância de nossa contribuição para sua formação cidadã e escolar, tendo como prioridade o trabalho direcionado e a intervenção pedagógica, onde o respeito á faixa etária e nível de escolaridade é imprescindível. 
Ressalta-se ainda o apoio da equipe diretiva, bibliotecárias, professores regentes, professores de apoio e funcionários que proporcionam ambiente acolhedor, onde a receptividade, acessibilidade, respeito e formação continuada sejam prioridades, ocorrendo assim ensino de qualidade com objetivos e planejamento, compatibilizando às necessidades de seus alunos. 
Incluir não é um trabalho solitário, é adaptar a escola para receber todos os alunos, é a porta aberta para inclusão de fato e de direto. 


Cleide
Professora de Apoio 





Simulado do Ensino Médio



Aconteceu no dia 28 de Maio de 2015 o Simulado do Ensino Médio. Esta é uma ação do Proemi visando implantar avaliações integradas e elevar o nível de proficiência dos estudantes nos testes internos e externos. A atividade foi desenvolvida com muito empenho, participação integral dos alunos e envolvimento nota dez de todos. 
Parabéns !!!

"NADA MELHOR QUE O TRABALHO EM EQUIPE! FEZ TODA A DIFERENÇA."

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Projeto "Lelê em minha casa"

A Aluna Patrícia toda feliz com o boneco Lelê

O Projeto é realizado pela professora Ana Paula Piau, professora do 2ºAno do Ciclo Inicial .
O Projeto “Lelê em minha casa”, serve de incentivo a leitura e a escrita, para os alunos.
O boneco vai para a casa do aluno dentro de uma caixa e de uma sacola, com um livrinho onde a criança deverá registrar tudo o que fez com o boneco.
Lembrando que o boneco não dorme sem ouvir histórias ...
A criança leva o Lelê para passear, tira fotos e registra tudo no livro, tem sido um sucesso e as famílias tem tido interação e entusiasmo com boneco.



quinta-feira, 11 de junho de 2015

Escola Estadual Abílio Caixeta apresentam projetos durante abertura da Semana Municipal de Meio Ambiente


Escola Estadual "Abílio Caixeta de Queiroz" realiza momento cívico e apresenta projetos de preservação de recursos hídricos e o "Escola Sustentável". 

Na manhã de hoje (9), foi iniciada a Semana Municipal do Meio Ambiente. Durante o evento, a diretora da Escola Abílio Caixeta de Queiroz, Maria Graças Lemos, destacou a importância do Ato Cívico na abertura da 3ª Semana Municipal de Meio Ambiente em Patos de Minas como importante ação para integrar as escolas com as questões ambientais. 

De 9h às 10h30, o Momento Cívico contou com a execução do Hino Nacional, hasteamento das bandeiras do Brasil, de Minas e do Município, por alunos da escola Abílio Caixeta e plantio de 6 espécies de mudas, como resedá, ipê amarelo e palmeira australiana. 

A professora Luciana apresentou o "Programa Escola Sustentável" com ações de reciclagem incentivando os alunos a promoveram a coleta de materiais que são armazenados na escola e depois encaminhados para serem reciclados e aproveitados posteriormente. 

O Diretor de Meio Ambiente, Civuca Costa, parabenizou as iniciativas dos alunos, professores e direção da E. E. Abílio Caixeta, pelos seus programas ambientais e a promoção da educação ambiental no bairro Alvorada. "É importante agora a escola fazer parte oficialmente do Ato Cívico da Semana de Meio Ambiente, como parte da agenda escolar anual integrando os alunos às atividades da programação da SEMMA", ressaltou o Diretor Ambiental.

Três alunas do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária do UNIPAM, participaram das atividades do Momento Cívico, inclusive, na orientação do plantio de árvores em área do jardim da Escola.






PROJETO BUSCANDO CAMINHOS: PROMOÇÃO DE UMA CULTURA DE PAZ



O que é paz?

         Para entender a dimensão e importância da cultura da paz nas escolas e, em extensão, nas comunidades, devemos ter conhecimento claro do que ela significa:
“Para continuarmos vivos, precisamos de certas coisas.
Comida, água, moradia, roupas que nos protejam,
ajuda quando estamos doentes ou machucados...
Paz é ter as coisas de que se precisa.”
(Livro Tempos de Paz, Ed. Global, 1999.
Katherine Scholes e Robert Ingpen).
        
Levando em consideração que estamos formando cidadãos (crianças, adolescentes e adultos) que precisam de bons exemplos a se espelhar, bem como serem vistos como seres humanos que têm desejos e necessidades quanto aos seus sentimentos e desenvolvimento pessoal e considerando que os profissionais que trabalham nas escolas também têm estas necessidades e a obrigação de dar bons exemplos, verifica-se a necessidade de um projeto que trabalhe a harmonia no ambiente escolar para que os profissionais da educação possam ensinar, principalmente, através de seus exemplos,  a cultura da paz.
Objetivando que este projeto mostre a importância do trabalho sobre valores dentro das escolas para qual possamos propagar a Paz. Ressaltando que isto só é possível através de atividades que envolvam toda a escola e também a comunidade escolar.
O corpo docente das escolas depara-se em seu cotidiano com atitudes que geram conflitos, por isso acredita-se que a Educação para a Paz é de fundamental importância na formação de professores, pois no dia a dia da sala de aula, muitas vezes entramos em conflito com nossos alunos que dizem "não quero fazer, não vou fazer". Outros não respeitam os colegas, o que desencadeia os casos de “bulliyng” em sala de aula e na escola tornando as agressões frequentes. Sem levar em conta que isso tudo tem cunho social e familiar, tendo influência direta sobre estas ações.
O relacionamento dos funcionários das escolas também geram atritos que muitas vezes seriam desnecessários se houvesse uma cultura de paz por parte de todos os profissionais da escola. Os desentendimentos, na maioria das vezes, se instalam por não compreensão por ambas as partes, por incapacidade de comunicação serena, incapacidade esta que pode ser justificada pelo constante estresse sobre o qual está os profissionais da escola.
Porém, estas justificativas não eliminam a necessidade de se buscar um caminho de harmonia no nosso ambiente educacional. E para que tal se efetive faz-se necessária intervenção efetiva com ações concretas para, se não resolver, ao menos minimizar tais problemas.
Se o profissional dirige-se ao seu local de trabalho tenso, na expectativa de que vivenciará mais um conflito naquele dia, acaba por adoecer emocionalmente, o que traz consequências graves para o processo educacional.
Quanto ao corpo discente em sala de aula, os professores fazem as intervenções que estão ao seu alcance, contando com o auxílio da equipe diretiva quando as coisas tomam grandes dimensões. Diante disso, há apenas um enfoque no que se pode chamar de "apagar incêndios", ou seja, depois que eles se agridem, são chamados, é conversado. Na reincidência, chamam os pais e, em casos mais graves, o Conselho Tutelar.
Acredita-se que “é melhor prevenir que remediar”. Diante de tal crença e visando um ambiente de paz entre os profissionais da escola, os educandos e a comunidade escolar, propõe-se através deste projeto ações que resolvam tais conflitos.
Este é um grande desafio, pois a realidade das escolas está longe de ser considerada harmoniosa. Contudo, todos necessitam de atenção e acolhimento, tanto os profissionais da educação quanto os educandos e seus familiares. E quando o ambiente escolar é o descrito aqui, todo o processo de ensino-aprendizagem e de convívio social fica comprometido.
Por tudo descrito acima, este projeto se justifica.

DURAÇÃO DO PROJETO

Formação de valores requer um trabalho a longo prazo e contínuo, exige preparo cuidadoso para não desrespeitar os valores que já estão arraigados naqueles de quem se pretende mudanças de comportamento. Há de se considerar o que o ser humano já considera como inerente ao seu ser. O que não significa imutabilidade, pois enquanto vivos, aprendemos e mudamos. Todavia, se não houver este respeito, corre-se o risco de inverter o resultado desejado, ou seja, em vez de promover um ambiente prazeroso e humanizador, acabaremos por propiciar a desarmonia.
Por esta razão as ações terão que ser desenvolvidas lenta e gradativamente no decorrer do ano letivo de 2015.
Como já determinado pela SRE, este projeto será desenvolvido do dia 18/05/15 a 04/12/15.

OBJETIVO GERAL

Transcreve-se aqui o mesmo objetivo da Superintendência Regional de Ensino , pois está de acordo com o objetivo da escola.
Promover uma cultura de paz nos ambientes escolares, proporcionando aos educandos e educadores um ambiente prazeroso e humanizado, e consequentemente uma aprendizagem significativa.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Além dos objetivos sugeridos pela SRE, citados abaixo, acrescentou-se outros.
  • Mobilizar os educadores, educandos e comunidade escolar para uma vivência contínua de paz entre si;
  • Resgatar os valores de respeito, do diálogo, da colaboração, da coerência e dos bons hábitos;
  • Recordar aos educandos e educadores o verdadeiro sentido da hierarquia para uma boa convivência;
  • Treinar a habilidade de conciliação;
  • Mobilizar e formar a rede com os órgãos públicos responsáveis pela promoção de uma cultura de paz no ambiente escolar;
  •  Conhecer melhor as atribuições de cada órgão público da rede.

Outros objetivos específicos:
  • Construir ações práticas e concretas para a implantação da Cultura de Paz na escola e na comunidade;
  • Compreender o conceito do termo VALORES e sua importância para o estabelecimento da paz na escola;
  • Estimular a convivência amigável entre os alunos;
  • Estimular a convivência amigável entre todos os funcionários da escola;

·  Expandir, de forma organizada e intencional, o Movimento Pela Paz;
·  Investir na melhoria da relação professor (a)-aluno (a);
· Fortalecer atitudes que expressem valores como o respeito e a ética por parte do
educadores, a fim de que sejam exemplo e inspiração aos seus educandos;
· Adequar as metodologias das aulas numa visão interdisciplinar, para a implementação do currículo baseado em valores positivos e divulgação de uma cultura de paz;
·         Envolver toda a comunidade escolar com o Projeto, como protagonistas de uma educação baseada em uma cultura de paz;
·         Formar uma rede de educadores e educandos comprometidos com o autodesenvolvimento positivo, na qual a cultura de paz possa ser implementada na escola;
·         Desenvolver o senso de tolerância e respeito à diversidade priorizando o aspecto humano e o espiritual em detrimento do material;
·         Desenvolver a autoestima e o respeito;
·         Formar consciência dos valores éticos e morais;
·         Reconhecer que a paz é uma conquista diária por meio de nossas ações;
·         Respeitar os diferentes;
·         Identificar e repelir o “bullying” e/ou qualquer outro tipo de atitude de desrespeito;
·         Promover encontros para troca de experiências e ideias entre os professores;
·         Conhecer fatos e personalidades importantes de nossa vida social na construção da justiça;
·         Possibilitar uma maior comunicação entre a escola, a família e a comunidade escolar como um todo;
·         Resgatar atitudes de cooperação, participação, responsabilidade, altruísmo, tolerância, sensibilidade e comprometimento na escola para toda a vida.

METODOLOGIA OU PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
     
Os procedimentos planejados para o desenvolvimento deste projeto são de atividades práticas com educandos, educadores e comunidade escolar.
Uma vez que se pretende criar hábitos de comportamento de paz entre todos os membros da comunidade escolar, pretende-se levá-los a conhecer para refletir e praticar ações de paz.
Portanto, o projeto fará uso de metodologias filosóficas, pois o que a técnica filosófica visa como resultado não é um conjunto de afirmações abstratas sobre esta ou aquela parte da realidade, nem mesmo sobre a “realidade como um todo”: é a capacitação do sujeito consciente humano individual para a apreensão concreta dos nexos entre conhecimento e realidade, apreensão sem a qual nenhum conhecimento, científico ou não, pode estar seguro de que faz sentido, nem de que seu objeto corresponde a algo no mundo real.
Além do método filosófico, usar-se-á também o método cognitivo que abrange como principais objetos de estudo a percepção, o pensamento e a memória, procurando explicar como o ser humano percebe o mundo e como se utiliza do conhecimento para desenvolver diversas funções cognitivas como: falar, raciocinar, resolver situações-problema, memorizar, entre outras.

CULMINÂNCIA

A culminância do projeto dar-se-á na Semana de Educação para a Vida, que neste ano acontecerá do dia 30/11/15 a 04/12/15.
No dia determinado para o tema “Ética” serão apresentados os trabalhos desenvolvidos no decorrer do ano pelo projeto “Buscando caminhos: promoção de uma cultura de paz”.
As atividades a serem desenvolvidas podem ser, dentre outras, as seguintes:
Depoimento de um aluno do Ensino Médio sobre o que foi debatido nas aulas de sociologia, filosofia e produção de texto sobre o tema cultura da paz
- Depoimento de um pai ou mãe sobre o mesmo tema;
- Exposição dos livros escritos pelos alunos do 6º ao 9º anos sobre o tema do projeto;
- Uma apresentação artística dos alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental;
- Uma palestra de uma autoridade (ainda a ser definida) sobre paz.

- Entretanto, deve-se aqui ressaltar que, como o projeto será desenvolvido no decorrer do ano, outras atividades poderão ser sugeridas como apresentação dos trabalhos executados dentro do projeto. 

CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES DE EXECUÇÃO DO PROJETO

- 30/04/15 – A comissão para elaboração e acompanhamento do projeto foi formada, tendo sido constituída  pelos seguintes membros:
- Auxiliar de Serviços de Educação Básica Gabriel Felipe de Melo
- Professor Bruno Batista 
Professora Adriana de Paula Amaral
- Professora Hélida Terezinha da Rocha Magalhães
- Professora Joelma Moreira Oliveira 
- Professora Orosina Madalena Teixeira Braga
- Professora Regina de Fátima Pacheco
- Professora Regina Silva
- Professora Simone Moisés Ferreira
-  Vice-diretora Natalícia Alves Pimenta
- Professora Edilma Fernandes da Silva Teixeira
- Professora Silésia Alves Rodrigues Amaral
- Professora Vildienia Rodrigues Viana

04/05/15 – Reunião da comissão para elaboração do projeto.

Ø  04/05/15 – Agendamento da visita do Frei Joaquim à Escola para o dia 27/05/15.
Horário: 16 horas.

Ø  18/05/15 – Envio do projeto da Escola para a SRE, através de e-mail.

Ø  27/05/15 – Seminário com todos os profissionais da escola para elaboração de normas e condutas para uma convivência de paz, incluindo a formação da comissão de conciliação que também será responsável pela elaboração do estatuto desta comissão.
O seminário acontecerá logo após a fala do Frei Joaquim.

Ø  01/06/15 a 30/06/15 – Execução de atividades lúdicas sobre o tema com os alunos do 1º ao 5º anos sob a coordenação das professoras Simone e Joelma.

Ø  01/06/15 a 30/06/15 – Empréstimo do livro “Amor exigente para professores” de Nara Silvia Carvalho de Menezes.

Ø  08/07/15 – Debate sobre o livro “Amor exigente para professores” sob orientação das supervisoras.
Preparação para o dia D.
Ø  11/07/15 -  Apresentação artística dos alunos do 1º ao 5º anos sobre a convivência em paz.
                 - Palestra : a confirmar  
                 - Responsável : Profª.: Orosina
                 - Horário : 8 horas (Dia D)
Ø  03/08/15 – Início da escrita do livro pelos alunos do 6º ao 9º anos pelas professoras Hélida e Orosina, sendo previsto o seu término para o dia 27/11/15 ou em data anterior a esta.

Ø  11/08/15 – Depoimento de pais sobre a importância da paz nas famílias.
                        Dia do estudante.
Ø  09/10/15 – Palestra sobre a cultura da paz.
Palestrante: a confirmar
Responsável: Natalícia
Horário: 8 horas
Palestrante: a confirmar
Responsável: Natalícia / Vildienia
Horário: 16 horas

Ø  03/11/15 a 27/11/15 – Debates sobre a cultura da paz com os alunos do Ensino Médio feita pelos professores Adriana Amaral, Bruno, Regina Pacheco, Regina Silva, respectivamente professores de Língua Portuguesa, Arte, Sociologia e História.

Ø   30/11/15 – Culminância do projeto.

Além das atividades citadas acima, já ocorrem na Escola as que são citadas abaixo e que não têm datas determinadas.

Ø  Execução do Hino Nacional semanalmente sob responsabilidade da professora Orosina.

Ø  Desenvolvimento do projeto antidrogas e antiviolência em parceria com a Polícia Militar, através do PROERD.(1º semestre uma vez por semana).

Ø  PROERD para pais. ( 2º semestre 5 encontros).

Ø  Comemoração dos aniversários dos profissionais da escola sob responsabilidade, no 1º turno, da professora do uso da biblioteca, Silésia e da professora em ajustamento funcional, Edilma; no 2º turno, sob responsabilidade da professora de uso da biblioteca, Vildiênia.

Ø  Visita periódica do Policial Amigo da Escola.

Ø  Orações todas as segundas-feiras dirigidas por um dos funcionários .
Responsável: Natalícia e Laícy

AVALIAÇÃO
      
Há, evidentemente, uma grande dificuldade de se avaliar o comportamento humano deixando de lado a subjetividade dos que pretendem fazê-lo, entretanto alguns aspectos podem ser avaliados de forma objetiva.
A avaliação deste projeto tem como principal objetivo sua reestruturação, pois este é um processo contínuo. 
Além de sua reestruturação com a avaliação, oportuniza-se o registro e reflexões das experiências realizadas pelos participantes do Projeto, tendo como objetivo examinar os impactos das ações na prática dos funcionários da Escola, dos educandos, de seus familiares no contexto da escola.

CRONOGRAMA DE AVALIAÇÃO

ANTES DA EXECUÇÃO DO PROJETO

Ø  Ideias levantadas por todos os envolvidos antes de iniciar o projeto.
Ø  Ideias, indagações e dúvidas referentes ao tema a ser trabalhado.
Ø  Levantamento de hipóteses, justificativa e explicação das questões estruturais.
Ø  Participação, desempenho individual e em grupo no compartilhar ideias.

DURANTE A EXECUÇÃO DO PROJETO

Ø   Elaboração do projeto, observando seus aspectos teóricos e práticos e destacando o que é primordial no desenvolvimento dos trabalhos; acompanhar e avaliar o desenvolvimento individual e em grupo; compreensão, relatos e reflexão.
Ø  Interesse pela aprendizagem: busca de informações e mudança de atitudes e conceitos.
Ø  Execução das tarefas do que foi planejado e colaboração.
Ø  Relações Interpessoais.
Ø  Posturas dos envolvidos no projeto em situação de conflito.
Ø  Envolvimento na produção e divulgação dos trabalhos; contribuição; colaboração;
Ø  Relatos, questionários; leituras; rodas de conversas; etc.

DEPOIS DA EXECUÇÃO DO PROJETO

Ø  Guia para  auto avaliar e tecer comentários construtivos do projeto;
Ø  Disponibilidade de espaço físico para reunir os envolvidos na elaboração do projeto;
Ø  Disponibilidade de equipamentos (computador, impressora, data show, mesa, cadeira e custos do projeto.);
Ø  Disponibilidade na escala de serviço para dedicar tempo adequado à preparação das ações a serem realizadas.


 Foto do Seminário com todos os profissionais da escola para elaboração de normas e condutas para uma convivência de paz, incluindo a formação da comissão de conciliação que também será responsável pela elaboração do estatuto desta comissão e a palestra com Frei Joaquim.