sexta-feira, 25 de setembro de 2015

INCLUIR FAZ BEM

A aluna Amanda e a Professora de apoio Cleide
A educação inclusiva constitui um paradigma educacional fundamentado na concepção de direitos humanos que conjuga igualdade e diferença como valores indissociáveis, e que avança em relação a à ideia de equidade formal ao contextualizar as circunstâncias históricas da produção da exclusão dentro e fora da escola.
Assim, o movimento mundial pela educação inclusiva é uma ação política, cultural, social  e pedagógica, desencadeada em defesa do direito de todos os alunos de estarem juntos , aprendendo e participando sem nenhum tipo de discriminação.
Nessa perspectiva, o Ministério da Educação /Secretaria da Educação Especial apresenta a Política Nacional da Educação Especial na Perspectiva da Educação inclusiva, que acompanha os avanços do conhecimento e das lutas sociais, visando constituir políticas públicas promotoras de uma educação de qualidade para todos os alunos.
Nesse sentido, ressalta-se a importância da lei Brasileira da inclusão (LBI) e os avanços conquistados. Tendo como objetivo ‘mudar a visão sobre o conceito de deficiência, que deixa então de ser atribuída à pessoa e passa a ser vista como consequência da falta de acessibilidade que não é só do Estado, mas da sociedade como um todo, ou seja, a LBI mostra que a deficiência está no meio, não nas pessoas.
A lei foi sancionada neste ano (após 15 anos de tramitação) e entrará em vigor a partir do dia 2 de janeiro de 2016, prevendo mudanças em várias áreas, como trabalho e educação.
Dia 21 de setembro – Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência. O que é um real avanço na Inclusão de Pessoas com Deficiência na sociedade.



Cleide Maria Rosa de Freitas
Professora apoio – E.E. “Abílio Caixeta de Queiroz”







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita.