quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Cordel e outras Linguagens

“Cordel quer dizer barbante
Ou senão mesmo cordão
Mas cordel-literatura
É a real expressão
Como fonte de cultura
Ou melhor: poesia pura
Dos poetas do sertão”
                                                                                        (Rodolfo Coelho Cavalcanti)

Com esse clima de melodia provocada pelas rimas; com a impressão de que as palavras estão sendo cantadas; os alunos do 8º ano 12 e 8º ano 13 produziram seus próprios cordéis, tendo como lema “ Você tem fome de quê?”
Antes da produção, os alunos conheceram textos do nosso maior cordelista, Patativa do Assaré. Em seus cordéis  presenciam os seguintes temas: a crítica social e política, a sua religiosidade e a sua garra para lutar contra a condição de sertanejo.Estudamos cordel, canções, xilogravuras. José Francisco Borges; conhecido internacionalmente por seus cordéis e trabalhos em xilogravura; destaca a importância que o cordel tem em sua vida e fala de onde vem a inspiração para suas gravuras e seus textos, que não retratam apenas da dor do nordestino, mas possuem um toque de humor e alegria. Veja a entrevista que J. Borges concedeu a Arthur Lobato. Interessante ressaltar que Ariano Suassuna foi um dos responsáveis pelo sucesso de  J. Borges.

Ariano Suassuna: Ariano Vilar Suassuna (João Pessoa, 16 de junho de 1927Recife, 23 de julho de 2014) foi um dramaturgo, romancista, ensaísta e poeta brasileiro.Idealizador do Movimento Armorial e autor de obras como Auto da Compadecida e O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, foi um preeminente defensor da cultura do Nordeste do Brasil.Foi secretário de Cultura de Pernambuco (1994-1998) e secretário de Assessoria do governador Eduardo Campos até abril de 2014



>>>CLIQUE AQUI<<<  PARA VISUALIZAR O VÍDEO 

=================================================================================


Fotos dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos juntamente com a 
Professora Marisa Braga 












=================================================================================



         Leia alguns desses cordéis que os alunos   produziram:


Cordel do adolescente

Um adolescente não é um adulto,
Mas também não é uma criança,
Quando se nota ele passou como vulto
E para a fase adulta se lança.
Alguns anos gostaria de voltar
Mas já é tarde para lamentar!
Na adolescência você ganha espinhas
Não gosta mais de brincar,
Começa a sair da linha
E se aplica em estudar.
  Pensa que ser adolescente é fácil, está enganado!

Um adolescente é um adulto embalado. 
Um adolescente é uma criança crescida,
Uma adulto inexperiente,
Teme por não ser entendida
Não consegue ser paciente.
 Como se estivesse na beira de um rio
Ser adolescente é um desafio!
                                                                              ( Matheus Sousa- 8º 12)
=================================================================================

Cordel Mineiro

Vou falar do meu estado
Nesse verso que eu fiz,
De um povo que fala muito
E outros que nada dizem.
Minas de povo forte, tendo azar ou tendo sorte,
Mas é um povo muito feliz.

Todo mineiro na verdade
Sabemos que não hesita,
Gosta bem de pão de queijo
E de receber visita,
Vive de sentir saudades
Quando o peito lhe palpita.

Acordar bem humorado
É sua profissão de fé,
Cinco horas da manhã
O mineiro está de pé,
Bota água para ferver
Que é para coar café.

Não podemos esquecer
Do mineiro em romaria,
Ele freqüenta festa santa
Para alegrar o seu dia,
E na hora de dormir
Ele reza uma ave-maria.
( Beatriz/ Júlia Romão-8º 12)

========================================================================


Cordel da natureza

Às vezes parece dureza
Mas para mim é uma beleza
Com a luz do dia
 Tudo brilha
Os pássaros cantam
Os frutos brotam

O vento suave e calmo
Faz as árvores baterem palmas
O chuvisco sobre a relva
É como gotas de água sobre a erva
O perfume das flores
É uma variação de cores

Mas acontece uma tristeza
Não preservam a natureza
A árvore está morrendo
Pois alguém jogou veneno
E o ar não fica puro
E tudo fica escuro

Por mim
É um triste fim
Mas eu vou conservar
E tudo pode transformar
Do jeito que eu quero
Do jeito que espero.
                                                   (Karina Souza- 8º12)

 =================================================================================

Cordel da copa

Falaram que a copa no Brasil não prestaria
Mas quando saia o gol todo mundo sorria.
Na copa quase não teve manifestação
Mas eu tenho certeza, teve muita curtição.
A única coisa que não gostaram
É que o Brasil não foi hexacampeão.
  
Na hora que a Croácia fez um gol
Neymar estava no campo e nos salvou.
Ele fez mais um e a torcida delirou.
Nas outras fases o Brasil arrasou
E no último jogo contra Camarões
Só saiu gol.

Nas oitavas de final contra o Chile a gente sentiu medo,
Pois nos pênaltis eles nos deram aperto.
Nas quartas de final contra a Colômbia machucaram nosso maior craque,
Mas mesmo assim, o Brasil fez dois gols e continuou no ataque.
Contra a Alemanha por 7x1 a gente perdeu e contra a Holanda também não venceu.
Já no Maracanã a Alemanha venceu a Argentina e consagrou tetracampeã.

( Leonardo Rocha- 8º 12)

=================================================================================


Cordel do sertão

No sertão meu amigo
Se quiser acredite
Tem maravilhas de montão,
 Tenho um pedaço de chão
Que entremeia as raízes
De fortes cactos; há que dias felizes!

No vento frio do sertão
Montado no meu alazão
Sentindo o calafrio
Vem surgindo no caminho
Um grande e imenso poeirão.
Quando chega a chuva, que tempo bão!

Cedo acordo, calçando as botinas
Naquela maravilha de visão
Escutando a enxada descendo
No campo do meu sertão.
Vai um dia e o outro vem
Começando tudo de novo para o nosso bem.

No meu sertão não falta nada
Tenho o amor de meus filhos
E também de minha amada,
Temos o que conseguimos
Com muito suor e dedicação
Pois tenho orgulho do meu sertão.

                                                               ( Eduardo William/Guilherme  Silva-8º13)

 =================================================================================


Cordel do amor

Os prazeres que oferece
O coração agradece.
O amor nos enche de euforia
A ternura é apenas teoria.
O amor nos faz sorrir
Felicidade permite adquirir.
  
As vezes nos faz chorar
De saudade, de lembrança.
O amor faz desejar você,
E enquanto vida eu tiver
Amando vou permanecer
 Pois o amor ensina a crê.
  
Amor é um sentimento
Nascido de um olhar,
A cada momento,
Alguém quer conquistar. 
O amor humaniza os corações
Eterniza as uniões.
  
Fazendo sempre a união,
De maneira sutil e com sabedoria,
O amor é o inicio de  um sentimento
 Traz  felicidade sem fim,
É viver emoções de momentos
Tendo você perto de mim.

                                                                    (Gislaine Rocha/ Marcela Carvalho-8º 12)

 =================================================================================

Sede de justiça

Quando a copa começou
O Brasil acabou,
Pois os políticos roubaram
E nada para os brasileiros sobraram,
Só restou
O imposto que aumentou.

Neste ano tiveram muitas manifestações
Com várias multidões
Todos saíram para as ruas
Para conseguirem seus direitos
Pois o Brasil tem vários defeitos
Política nenhuma.

Os protestos aconteceram em grandes cidades,
Tentando melhorar o Brasil,
Mas infelizmente nossa sociedade
Tem líderes políticos como nunca viu
Só sabem roubar
E não ajudar!

A copa acabou
O que nos restou?
Estádios e construções.
E muitas corrupções!
Pois pegaram dinheiro da cidade
E não investiram na sociedade.

( Daniel Júnio/ Gustavo Ferreira-8º12)


=================================================================================

Cordel da vida

Minha vida é um fato consumado
Não tem lado errado, assim “cê” ta ligado.
Sou adolescente,
Vivo consciente,
Quero liberdade
O que é normal para minha idade.

Eu pertenço ao mundo de poucos
Uns me chama de gênio e outros de louco
Pensa no que difundi
Em como eu resisti
Apanhando da vida,
Foi assim que aprendi.
  
A vida que realmente quero viver
Só existe nos meus sonhos
E continuo sonhando
Andando pela estrada
 Procurando  o infinito
Onde não há nada.

O tempo passa mais “cê” permanece
 O que não serve a gente esquece
 O que não me mata me fortalece
A vida é um espaço de tempo
Para se perder, vou me sentir ganhando,
Se perder meu tempo com você.

                                                      (Juliana Camargo/ Nathália Benfica-8º 12)

 =================================================================================


Viver no sul

Na fazenda onde eu vivo
Muitas frutas eu cultivo
Vou plantando e cuidando
Minha vida vou vivendo
Vendo os galhos florescendo
E as frutas crescendo.

Essas frutas que a gente cultiva
Vai sustentando nossa vida
Alimentando os animais
Vivendo a cada dia
Com muita alegria
E sempre trabalhando mais.

No mangalarga vou montando
E pelos campos andando
Apenas observando
Como o plantio está
Para a colheita realizar
E a casa com a fartura se alegrar.

                                                                             ( Douglas Eduardo-8º13)

4 comentários:

  1. Fiquei encantada com a criatividade de seus alunos Professora Marisa Braga. Parabéns todos ficaram lindos.

    ResponderExcluir
  2. Nós somos cordelistas super criativos!! Arrazamosss!! ;) \°/

    ResponderExcluir
  3. somos cordelistas kkkkkkkkkkk
    mas ate que eu gostei bastante, de aprender sobre cordel
    Douglas Eduardo sala 13

    ResponderExcluir
  4. Adorei o cordel mineiro! Parabéns Beatriz e Júlia.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita. Volte sempre!

CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA E.E MONSENHOR FLEURY

Professora Adriana Alves proporcionou alegria para os alunos da E.E Monsenhor Fleury com contação de história na Semana das Crianças. C...