quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Cordel e outras Linguagens

“Cordel quer dizer barbante
Ou senão mesmo cordão
Mas cordel-literatura
É a real expressão
Como fonte de cultura
Ou melhor: poesia pura
Dos poetas do sertão”
                                                                                        (Rodolfo Coelho Cavalcanti)

Com esse clima de melodia provocada pelas rimas; com a impressão de que as palavras estão sendo cantadas; os alunos do 8º ano 12 e 8º ano 13 produziram seus próprios cordéis, tendo como lema “ Você tem fome de quê?”
Antes da produção, os alunos conheceram textos do nosso maior cordelista, Patativa do Assaré. Em seus cordéis  presenciam os seguintes temas: a crítica social e política, a sua religiosidade e a sua garra para lutar contra a condição de sertanejo.Estudamos cordel, canções, xilogravuras. José Francisco Borges; conhecido internacionalmente por seus cordéis e trabalhos em xilogravura; destaca a importância que o cordel tem em sua vida e fala de onde vem a inspiração para suas gravuras e seus textos, que não retratam apenas da dor do nordestino, mas possuem um toque de humor e alegria. Veja a entrevista que J. Borges concedeu a Arthur Lobato. Interessante ressaltar que Ariano Suassuna foi um dos responsáveis pelo sucesso de  J. Borges.

Ariano Suassuna: Ariano Vilar Suassuna (João Pessoa, 16 de junho de 1927Recife, 23 de julho de 2014) foi um dramaturgo, romancista, ensaísta e poeta brasileiro.Idealizador do Movimento Armorial e autor de obras como Auto da Compadecida e O Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta, foi um preeminente defensor da cultura do Nordeste do Brasil.Foi secretário de Cultura de Pernambuco (1994-1998) e secretário de Assessoria do governador Eduardo Campos até abril de 2014



>>>CLIQUE AQUI<<<  PARA VISUALIZAR O VÍDEO 

=================================================================================


Fotos dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos juntamente com a 
Professora Marisa Braga 












=================================================================================



         Leia alguns desses cordéis que os alunos   produziram:


Cordel do adolescente

Um adolescente não é um adulto,
Mas também não é uma criança,
Quando se nota ele passou como vulto
E para a fase adulta se lança.
Alguns anos gostaria de voltar
Mas já é tarde para lamentar!
Na adolescência você ganha espinhas
Não gosta mais de brincar,
Começa a sair da linha
E se aplica em estudar.
  Pensa que ser adolescente é fácil, está enganado!

Um adolescente é um adulto embalado. 
Um adolescente é uma criança crescida,
Uma adulto inexperiente,
Teme por não ser entendida
Não consegue ser paciente.
 Como se estivesse na beira de um rio
Ser adolescente é um desafio!
                                                                              ( Matheus Sousa- 8º 12)
=================================================================================

Cordel Mineiro

Vou falar do meu estado
Nesse verso que eu fiz,
De um povo que fala muito
E outros que nada dizem.
Minas de povo forte, tendo azar ou tendo sorte,
Mas é um povo muito feliz.

Todo mineiro na verdade
Sabemos que não hesita,
Gosta bem de pão de queijo
E de receber visita,
Vive de sentir saudades
Quando o peito lhe palpita.

Acordar bem humorado
É sua profissão de fé,
Cinco horas da manhã
O mineiro está de pé,
Bota água para ferver
Que é para coar café.

Não podemos esquecer
Do mineiro em romaria,
Ele freqüenta festa santa
Para alegrar o seu dia,
E na hora de dormir
Ele reza uma ave-maria.
( Beatriz/ Júlia Romão-8º 12)

========================================================================


Cordel da natureza

Às vezes parece dureza
Mas para mim é uma beleza
Com a luz do dia
 Tudo brilha
Os pássaros cantam
Os frutos brotam

O vento suave e calmo
Faz as árvores baterem palmas
O chuvisco sobre a relva
É como gotas de água sobre a erva
O perfume das flores
É uma variação de cores

Mas acontece uma tristeza
Não preservam a natureza
A árvore está morrendo
Pois alguém jogou veneno
E o ar não fica puro
E tudo fica escuro

Por mim
É um triste fim
Mas eu vou conservar
E tudo pode transformar
Do jeito que eu quero
Do jeito que espero.
                                                   (Karina Souza- 8º12)

 =================================================================================

Cordel da copa

Falaram que a copa no Brasil não prestaria
Mas quando saia o gol todo mundo sorria.
Na copa quase não teve manifestação
Mas eu tenho certeza, teve muita curtição.
A única coisa que não gostaram
É que o Brasil não foi hexacampeão.
  
Na hora que a Croácia fez um gol
Neymar estava no campo e nos salvou.
Ele fez mais um e a torcida delirou.
Nas outras fases o Brasil arrasou
E no último jogo contra Camarões
Só saiu gol.

Nas oitavas de final contra o Chile a gente sentiu medo,
Pois nos pênaltis eles nos deram aperto.
Nas quartas de final contra a Colômbia machucaram nosso maior craque,
Mas mesmo assim, o Brasil fez dois gols e continuou no ataque.
Contra a Alemanha por 7x1 a gente perdeu e contra a Holanda também não venceu.
Já no Maracanã a Alemanha venceu a Argentina e consagrou tetracampeã.

( Leonardo Rocha- 8º 12)

=================================================================================


Cordel do sertão

No sertão meu amigo
Se quiser acredite
Tem maravilhas de montão,
 Tenho um pedaço de chão
Que entremeia as raízes
De fortes cactos; há que dias felizes!

No vento frio do sertão
Montado no meu alazão
Sentindo o calafrio
Vem surgindo no caminho
Um grande e imenso poeirão.
Quando chega a chuva, que tempo bão!

Cedo acordo, calçando as botinas
Naquela maravilha de visão
Escutando a enxada descendo
No campo do meu sertão.
Vai um dia e o outro vem
Começando tudo de novo para o nosso bem.

No meu sertão não falta nada
Tenho o amor de meus filhos
E também de minha amada,
Temos o que conseguimos
Com muito suor e dedicação
Pois tenho orgulho do meu sertão.

                                                               ( Eduardo William/Guilherme  Silva-8º13)

 =================================================================================


Cordel do amor

Os prazeres que oferece
O coração agradece.
O amor nos enche de euforia
A ternura é apenas teoria.
O amor nos faz sorrir
Felicidade permite adquirir.
  
As vezes nos faz chorar
De saudade, de lembrança.
O amor faz desejar você,
E enquanto vida eu tiver
Amando vou permanecer
 Pois o amor ensina a crê.
  
Amor é um sentimento
Nascido de um olhar,
A cada momento,
Alguém quer conquistar. 
O amor humaniza os corações
Eterniza as uniões.
  
Fazendo sempre a união,
De maneira sutil e com sabedoria,
O amor é o inicio de  um sentimento
 Traz  felicidade sem fim,
É viver emoções de momentos
Tendo você perto de mim.

                                                                    (Gislaine Rocha/ Marcela Carvalho-8º 12)

 =================================================================================

Sede de justiça

Quando a copa começou
O Brasil acabou,
Pois os políticos roubaram
E nada para os brasileiros sobraram,
Só restou
O imposto que aumentou.

Neste ano tiveram muitas manifestações
Com várias multidões
Todos saíram para as ruas
Para conseguirem seus direitos
Pois o Brasil tem vários defeitos
Política nenhuma.

Os protestos aconteceram em grandes cidades,
Tentando melhorar o Brasil,
Mas infelizmente nossa sociedade
Tem líderes políticos como nunca viu
Só sabem roubar
E não ajudar!

A copa acabou
O que nos restou?
Estádios e construções.
E muitas corrupções!
Pois pegaram dinheiro da cidade
E não investiram na sociedade.

( Daniel Júnio/ Gustavo Ferreira-8º12)


=================================================================================

Cordel da vida

Minha vida é um fato consumado
Não tem lado errado, assim “cê” ta ligado.
Sou adolescente,
Vivo consciente,
Quero liberdade
O que é normal para minha idade.

Eu pertenço ao mundo de poucos
Uns me chama de gênio e outros de louco
Pensa no que difundi
Em como eu resisti
Apanhando da vida,
Foi assim que aprendi.
  
A vida que realmente quero viver
Só existe nos meus sonhos
E continuo sonhando
Andando pela estrada
 Procurando  o infinito
Onde não há nada.

O tempo passa mais “cê” permanece
 O que não serve a gente esquece
 O que não me mata me fortalece
A vida é um espaço de tempo
Para se perder, vou me sentir ganhando,
Se perder meu tempo com você.

                                                      (Juliana Camargo/ Nathália Benfica-8º 12)

 =================================================================================


Viver no sul

Na fazenda onde eu vivo
Muitas frutas eu cultivo
Vou plantando e cuidando
Minha vida vou vivendo
Vendo os galhos florescendo
E as frutas crescendo.

Essas frutas que a gente cultiva
Vai sustentando nossa vida
Alimentando os animais
Vivendo a cada dia
Com muita alegria
E sempre trabalhando mais.

No mangalarga vou montando
E pelos campos andando
Apenas observando
Como o plantio está
Para a colheita realizar
E a casa com a fartura se alegrar.

                                                                             ( Douglas Eduardo-8º13)

4 comentários:

  1. Fiquei encantada com a criatividade de seus alunos Professora Marisa Braga. Parabéns todos ficaram lindos.

    ResponderExcluir
  2. Nós somos cordelistas super criativos!! Arrazamosss!! ;) \°/

    ResponderExcluir
  3. somos cordelistas kkkkkkkkkkk
    mas ate que eu gostei bastante, de aprender sobre cordel
    Douglas Eduardo sala 13

    ResponderExcluir
  4. Adorei o cordel mineiro! Parabéns Beatriz e Júlia.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita.