domingo, 27 de janeiro de 2013

Problemas de visão: seu filho tem?


Quais as principais doenças que atacam a vista? Veja dicas para garantir a saúde dos olhos de seu filho.


Uma em cada 20 crianças com idade pré-escolar sofre de um distúrbio de visão.



   O problema existe, mas a criança mal se dá conta. Porque acredita que o mundo seja assim mesmo, do jeito "esquisito" que vê - imagens distorcidas ou não percebidas, seja de longe ou de perto. O pior acontece mais tarde, impactando o rendimento escolar: criança que não enxerga direito mostra pouco interesse nas aulas, e é incapaz de se concentrar. 

   Cabe aos pais darem atenção à saúde dos olhos de seu filho desde o período que antecede a alfabetização. O exame do reflexo vermelho deve ser feito ainda no berçário. "É ele que garante, logo após o nascimento, a identificação de alterações como catarata congênita e tumores oculares", informa Renato Neves, do Eye Care Hospital de Olhos (SP). Fazer esse exame deve ser preocupação do pai e da mãe que desejam promover a visão saudável do seu filho desde a primeira semana de vida.   
   "Até os dois anos, a criança também pode apresentar sinais de estrabismo que, se não forem tratados com rapidez, vão resultar em ambliopia ou doença do olho preguiçoso, comprometendo definitivamente a vista do olho ‘doente’", avisa Neves. 

   Uma em cada 20 crianças com idade pré-escolar sofre de um distúrbio de visão. Quer enxergar melhor esse problema? Confira sintomas aos quais os pais devem prestar atenção:

1.Dor de Cabeça 

"Se a criança reclama constantemente de dor de cabeça na hora de fazer a lição de casa ou mesmo durante a aula, melhor investigar", recomenda Renato. É que essa criança pode sentir dor exatamente por fazer um esforço extra para conseguir enxergar as letras.

2. Sentar perto do monitor da TV, apertar os olhos para ler ou coça-los com insistência

Esses são sintomas de que algo vai mal com a vista da criança. "A criança, que faz questão de se sentar bem próxima da televisão, pode sofrer de miopia - o mesmo vale para games de bolso ou livros. Se o seu filho apresentar o costume de apertar os olhos para enxergar, pode ser que ele inconscientemente esteja fazendo foco com o olho ‘bom’ para ver com nitidez. Em ambos os casos, um especialista deve fazer uma avaliação. Quanto a coçar os olhos com insistência, é sinal clássico de fadiga ocular e pode estar relacionado a uma conjuntivite, por exemplo", adianta Renato Neves.

3.Lacrimejar excessivamente durante o dia

 Esse sintoma pode ser indício de ressecamento dos olhos à noite. Há crianças que não fecham os olhos totalmente quando dormem. "Essa condição provoca ressecamento e, para compensar, elas passam o dia lacrimejando espontaneamente", destaca o oftalmologista. Essa reação atrapalha a capacidade de enxergar corretamente. "O resultado é que até o relacionamento com os colegas acaba por ser prejudicado", alerta Renato.

4.Ter dificuldade na hora de ler

Isso pode sinalizar problema de vista, e merece ser investigado. Ainda mais se a criança tiver o hábito de acompanhar a leitura do texto com o dedo. Se a criança alfabetizada só for capaz de ler perdendo palavras ou mesmo saltando linhas, precisa ter seus olhos avaliados em um exame oftalmológico. "Pode ser sinal de astigmatismo ou mesmo estrabismo", avisa Renato Neves. O uso do indicador para acompanhar a leitura de um texto pode ser mais do que um simples vício de conduta - é um dos sinais da ambliopia, a síndrome do olho preguiçoso. "A criança vê as palavras muito próximas, o que dificulta a leitura", informa o especialista.

5.Demonstrar sensibilidade à luz ou tampar o olho com a mão

A sensibilidade à luz pode ser sintoma de exotropia, um tipo de estrabismo. E se a criança tampa um olho com a mão para ver com o ‘bom’, pode indicar estrabismo ou mesmo ambliopia. 

"A criança, que demonstra incômodo exagerado no ambiente muito iluminado ou ainda sob a influência da luz solar, deve ser encaminhada ao exame de um oftalmologista - são indícios de estrabismo fáceis de reconhecer", diz o especialista. O mesmo pode ser dito da criança que tampa o olho "ruim" para enxergar melhor com o "bom". "Isso pode acontecer tanto na atividade escolar quanto no lazer, assistindo TV, por exemplo. Por isso, o problema precisa ser devidamente investigado por um oftalmologista", aconselha Renato Neves.

Cuidados extras 

Os problemas de visão mal diagnosticados ou simplesmente ignorados podem gerar graves problemas no rendimento escolar infantil. Os pais devem ficar atentos ao grau de envolvimento de uma criança nas atividades da escola. Parece óbvio, mas não é. A falta de atenção e/ou conhecimento dos adultos sobre os problemas de visão que afetam as crianças pode comprometer o desempenho escolar, assim como o convívio social delas. "Foi o que aconteceu com uma criança de seis anos que conheci tempos atrás, ela se comportava como autista porque tinha nove graus de miopia e a sua família não sabia do problema...", conta Renato. "Bastou essa criança receber óculos de lentes adequadas para voltar a enxergar e interagir com os colegas." 

Aliás, é preciso atentar também para a escolha dos óculos. Prefira lentes de policarbonato ou trivex, mais resistentes. Assim, a garotada pode se divertir sem receio. Armações de metal, que fixam bem os óculos no rosto, atrás das orelhas, são garantia de conforto. Para limpar as lentes, use água, sabão e um pano limpo. 
Os pais também devem observar os hábitos de seu filho, pois alguns deles podem prejudicar a visão. Confira:

01. Usar em excesso computador ou celular 

Deixar o filho brincar por horas a fio com os jogos instalados no computador e/ou no celular pode causar irritação e fadiga à vista, além da síndrome do olho seco. Quantas horas por dia seriam permitidas pela Ciência? "Não existe tempo ideal, apenas é sugerido o uso do bom senso por parte dos pais", diz Renato. Porque há outras maneiras de o seu filho se divertir - e que não implicam o uso da tecnologia.

02.Ler Deitado ou com texto colado no rosto ou ainda, ou ambiente mal iluminado

Essas também são situações que prejudicam a vista de uma criança. Os pais precisam estar atentos, evitando que as crianças se acostumem a ler em situações consideradas nocivas à saúde dos olhos, como ler deitado (provoca o achatamento dos olhos); ler no escuro (causa a dilatação da pupila, o que resulta em dor de cabeça); e ler com o texto muito próximo da vista (força o cristalino, espécie de diafragma do olho, favorecendo a miopia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua visita.